Meu filho não cresce!

A preocupação com a estatura dos filhos é algo comum para a maioria dos pais.

Quem nunca fez comparações com os coleguinhas da mesma idade e se questionou se o filho ou filha estão no tamanho correto? Essas preocupações são normais não só por que se trata da saúde dos filhos, mas porque baixa estatura muitas vezes é motivo de complexos entre crianças, adolescentes e adultos. Pergunte a alguém “baixinho” se gostaria de ser mais alto? Sem dúvida, grande parte dirá que sim.

As últimas pesquisas do IBGE revelam que a média de estatura dos brasileiros vem aumentando, assim como os jovens também estão crescendo mais. Segundo matéria publicada na revista Veja, recentemente, a média de altura dos recrutas que se alistaram no Exército saltou de 1,67cm para 1,74cm. Mas essa realidade não é pertinente a todos, já que existem muitas pessoas abaixo da média. A boa notícia é que problemas de crescimento, se tratados no período certo, podem ser evitados garantindo os tão sonhados centímetros a mais na idade adulta. Segundo o médico endocrinologista pediátrico Carlos André Tonelli, uma estatura adequada é sinônimo de melhor qualidade de vida e vários estudos comprovam que uma pessoa com baixa estatura tem maiores dificuldades de conseguir emprego, de encontrar um parceiro ideal, de ter lazer, muitas vezes refletindo-se no âmbito psicológico. “A criança pequena enfrenta dificuldades já no colégio, onde muitas vezes é motivo de bulling, o que pode traduzir-se em pouco rendimento escolar”, destaca. Todos nascem com uma carga genética herdada dos pais. No entanto, com a ajuda de tratamento o potencial genético é melhor aproveitado com melhora da estatura final em relação aos pais na maioria das vezes.

Os principais problemas: O fato de uma criança ser menor do que os outros da mesma idade não significa necessariamente que ela irá ficar baixa é preciso avaliar a velocidade de crescimento. Existem curvas de crescimento (estatura e peso) que auxiliam determinar, exatamente, a situação de uma criança. Esta é considerada pequena quando sua estatura encontra-se abaixo do percentil 10 .

Os fatores que podem interferir no crescimento são: peso de nascimento, alimentação, doenças da infância,falta de carinho e atenção por parte da família, época de início da puberdade e estatura dos pais. Dentre as causas de baixa estatura podemos dizer que as mais comuns são as doenças pediátricas gerais como: desnutrição, anemia, verminose, infecção urinária, doenças crônicas (Asma grave por exemplo), entre outras.Também existem as causas endócrinas, sendo as mais comuns: Deficiência de Hormônio de Crescimento, Hipotireoidismo e Síndrome de Cushing, todas possíveis de tratamento quando procurado auxílio médico à tempo. Tratamento Quanto mais cedo o médico for consultado melhor, já que problemas de crescimento podem ser tratados, porém têm que ser antes do final da puberdade, estágio de maturação física onde o indivíduo se torna capaz de reprodução sexual. Por isso, o acompanhamento de uma médico especialista antes dessa fase iniciar é fundamental, pois é possível retardar esse processo e garantir uma estatura maior. “É comum filhos que já chegaram ao final da puberdade saírem do meu consultório cobrando dos pais, por que não buscaram tratamento antes”, declarou Tonelli.

O tratamento depende de cada situação. O hormônio de crescimento é utilizado para melhorar a estatura final em crianças que apresentam doenças como deficiência de hormônio de crescimento, insuficiencia renal crônica, síndrome de turner ( distúrbio genético que cursa com baixa estatura) ou Déficit Pondero Estatural Idiopático(causa desconhecida) ou familiar. Trata-se de um medicamento importado, que aumenta o metabolismo, não apresenta efeitos colaterais importantes e tem que ser aplicado ( é injetável) diariamente durante um grande período, até que o médico determine a interrupção.

A resposta clínica depende de paciente para paciente e muitas vezes a dose precisa ser ajustada para que se tenha uma melhor resposta.

compartilhe

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

entre em contato e
agende sua consulta

veja mais

NightScout

Lançado nos EUA, um sistema que consiste de um sistema de monitorização continua de glicose em tempo real acoplado ao paciente, que fica mandando

Leia mais »